A alimentação do bebé a partir dos 12 meses

 


Apesar da alimentação do bebé evoluir, continua a ser indispensável a ingestão de leite. A ingestão diária de 300 a 500ml de leite é indispensável para o crescimento do seu bebé, sendo essencial até aos 3 anos de idade.

Os mais recentes estudos científicos demonstram* que o leite de vaca, por si só, não comporta a quantidade certa de nutrientes essenciais ao crescimento e desenvolvimento do seu bebé até aos 3 anos de idade, por isso é aconselhável o atraso na introdução do leite de vaca até essa idade. Nesta fase, é necessário continuar a dar especial atenção à qualidade e quantidade de nutrientes, pois uma nutrição adequada ajuda a prevenir desequilíbrios alimentares e é essencial para garantir que o seu filho obtém toda a energia que necessita para crescer ao seu ritmo. Por isto, de 1 a 3 anos, é importante dar ao seu filho um leite adequado às suas necessidades específicas.

*Ref: Estudo EPACI, Portugal, 2012

Os cereais constituem uma das principais fontes de hidratos de carbono para o bebé.

Através do pão, da massa, do arroz ou de vários cereais (papas), o bebé pode adquirir a quantidade necessária, destes nutrientes, devendo os mesmos fazer parte da alimentação diária do seu filho.

Estes são alimentos ricos em hidratos de carbono simples e complexos (fibras) que contribuem para a saciedade e fornecimento de energia ao bebé, durante várias horas.

A fruta e os legumes são alimentos de uma riqueza nutricional única. São excelentes fontes de vitaminas, minerais e fibras, nutrientes indispensáveis para que a criança cresça forte e saudável!

Nesta fase já podem ser oferecidos frutos como os frutos vermelhos, o kiwi, o maracujá e legumes como o nabo, a nabiça, o espinafre, a beterraba e o aipo.

É importante incentivar precocemente o consumo de fruta e legumes para que façam parte das preferências alimentares das crianças no presente e no futuro. As crianças devem consumir 5 porções de frutas e legumes por dia. Deve ser oferecida uma grande variedade de frutas e legumes, preparados, confecionados e apresentados de diferentes maneiras para estimular o consumo e preferência por estes alimentos.

A carne o peixe e o ovo são fontes de proteínas de alto valor biológico, ou seja contêm todos os aminoácidos essenciais (que o organismo não produz ou que produz em quantidade insuficiente).

A carne e o peixe são também boas fontes de ferro, um nutriente que contribui para o desenvolvimento cognitivo normal das crianças.

O peixe contém também Ácidos Gordos Essenciais, muito importantes para o desenvolvimento do cérebro.

As leguminosas destacam-se pelo seu teor em hidratos de carbono complexos, proteínas, ferro e fibra. Pode incluí-las na sopa ou no segundo prato onde devem substituir o arroz, a massa ou a batata.

Para além do leite, a água é a única bebida recomendada para hidratar a criança. Esta assume especial importância no funcionamento dos rins, da bexiga e do intestino, prevenindo a obstipação.

Numa fase em que a criança se movimenta cada vez mais, as perdas hídricas aumentam, no entanto a criança ainda não tem o instinto para beber a quantidade de líquidos necessária para repor essas perdas.

Por isso ofereça água ao seu filho várias vezes ao dia!

Numa fase determinante na construção das preferências alimentares futuras e tão importante no desenvolvimento e crescimento, evite dar ao seu filho alimentos nutricionalmente desequilibrados com elevado teor de gordura saturada (fritos, carnes gordas), elevado teor de açúcar (doces, refrigerantes) e com elevado teor de sal. 

Só a partir dos 12 meses é que podem ser dados ao bebé alimentos condimentados. No entanto, evite o máximo possível o sal (salvo indicação médica em contrário) e as especiarias (como a pimenta), substituindo-as por ervas aromáticas, como o cebolinho, a salsa, o manjericão, o tomilho ou coentros.

Os corantes, conservantes, aromatizantes artificiais e adoçantes também devem ser evitados. Estes compostos não são permitidos em produtos destinados à alimentação infantil mas estão presentes numa grande variedade de produtos destinados à população adulta (por exemplo doces e bolos).

A neofobia alimentar...

A partir desta idade podem começar a surgir neofobias alimentares, ou seja, a criança começa a apresentar receio em provar novos alimentos e a experimentar novos sabores que não lhe sejam familiares.  

Embora possa dificultar a alimentação da criança, especialmente porque a neofobia parece estar principalmente direcionada para alimentos como a carne, vegetais ou frutas e menos para alimentos doces ou ricos em gordura saturada, esta característica pode também ser protetora pois é nesta fase que a criança, em plena fase de exploração, começa a estar exposta a alimentos ou substâncias potencialmente prejudiciais.

Torna-se assim necessário encontrar estratégias para tornar estes alimentos mais apetecíveis!

Seja criativa e apresente pratos apelativos com alimentos de cores vivas dispostos em figuras. Não se esqueça também que as frutas e legumes com diferentes cores apresentam uma riqueza nutricional diferente. Inclua alimentos de todas as cores na alimentação do seu filho!

Experimente variar as combinações entre alimentos e texturas (um prato de massinha de peixe pode ser mais bem aceite do que peixe com batata cozida) e até a temperatura da refeição.

Encoraje o seu bebé e elogie os alimentos saudáveis “nham nham estes brócolos são tão bons” e coma-os à frente dele. Pode não funcionar todos os dias, mas provavelmente vai querer imitá-la e comer também.

Pequeno-almoço

O seu filho não é um mini-adulto e continua a ter necessidades nutricionais específicas. Um leite específico para a sua idade contribui para o equilíbrio da dieta, ajudando a satisfazer as necessidades nutricionais desta fase do desenvolvimento.

Para complementar a refeição, experimente a farinha não láctea Blédina Multicereais Junior, especificamente indicada para crianças a partir dos 12 meses.

Almoço

O almoço do seu filho deve ser uma refeição completa com todos os alimentos necessários como legumes (na sopa e como acompanhamento no prato), farináceos (arroz, massa, batata, leguminosas), carne, peixe ou ovo.

Os pratinhos de refeição da Blédina, com receitas simples e saborosas, têm pequenos pedaços para ajudar a treinar a mastigação.

Para finalizar a refeição, ofereça uma frutinha. Os boiões ou tacinhas Frutapura são 100% fruta, sem adição de açúcares, conservantes ou corantes.

Lanche

Aproveite o momento privilegiado para lhe oferecer produtos lácteos como por exemplo Petit Blédi ou o nosso lanchinho que combina fruta com bolacha. O pão e a fruta são também uma excelente opção.

Jantar

As sopas da Blédina são elaboradas por nutricionistas, especialistas em alimentação para bebés até aos 3 anos de idade. Contêm legumes cozinhados a vapor de forma a preservar os nutrientes e sabor dos alimentos.

Para terminar a refeição ofereça uma peça de fruta ou um dos boiões ou tacinhas Frutapura Blédina.

Diversificacao alimentar a partir 12 meses
Os Nossos Agricultores
Só uma relação de estreita confiança resulta em parcerias de qualidade.
Ler mais
O caminhante
O seu filho já tem um aninho! Está tão crescido e durante os próximos 6 meses vai continuar a surpreendê-la.
Ler mais
Nutrientes
Todos os nutrientes têm um papel importante no crescimento do seu bebé.
Ler mais
Estufado de Cenouras e Carninha
Os Pratinhos de refeição Blédina são uma boa opção para variar as refeições do seu bebé.
Ler mais